fbpx

Violência sexual como tortura

Corte IDH, Caso Azul Rojas Marín e outra vs. Peru. Sentença de 12.03.2020. Exceções preliminares, mérito, reparações e custas, § 160: Conforme o art. 5.2 da CADH, tortura é todo ato de maltrato que a) seja intencional, b) cause severos sofrimentos físicos ou mentais e c) seja cometido com qualquer fim ou propósito. Além disso, ameaças e o perigo real de submeter uma pessoa a graves lesões físicas produz, em determinadas circunstâncias, uma angústia moral de tal grau que pode ser considerada “tortura psicológica”. O estupro e outras formas de violência sexual podem configurar tratamentos crueis, desumanos ou degradantes, e inclusive atos de tortura se são satisfeitos os elementos da definição. Para qualificar uma violação sexual como tortura deve-se verificar a intencionalidade, a gravidade do sofrimento e a finalidade do ato, levando em consideração as circunstâncias específicas de cada caso.

PUBLICIDADE
COMPARTILHAR

Encontrou algum erro no conteúdo? Clique aqui para reportar.

Categorias

Assine nossa newsletter

Queremos manter você informado dos principais julgados e notícias da área penal.

    Tudo de Penal